Atualmente, a Igreja Messiânica Mundial está se defrontando com um momento de importantes mudanças. Em vista disso, os membros, que mantêm a instituição através da prática do donativo de gratidão, têm o direito de saber o que está acontecendo. Portanto, a Sede Central Izunome está transmitindo, na medida do possível, essas informações aos membros.
No entanto, infelizmente temos presenciado inúmeros pronunciamentos como “não vamos falar sobre a purificação da Igreja”, “Deus está no comando de tudo, por isso, não vamos nos envolver” ou “vamos apenas ministrar Johrei”. Acredita-se que o objetivo disso seja afastar os olhos dos membros da verdade.
Realmente, o Johrei é o que existe de mais importante na nossa religião. Podemos dizer que, sem ele, a Igreja Messiânica Mundial não existiria.
O que devemos refletir neste caso é: por que somos capazes de ministrar Johrei?
Evidentemente, isto é porque recebemos o Ohikari. Sem ele, nenhum membro seria capaz de ministrar Johrei. Aparentemente, isso parece algo simples, mas é um fato de suma importância.
Os Ohikaris de todos os messiânicos do mundo inteiro foram consagrados por Kyoshu-Sama. Sem esse ato sagrado, o Ohikari não passaria de uma simples medalha. Tanto o seu Ohikari como o das pessoas que se reúnem nos Johrei Centers ou nos Solos Sagrados foram, sem nenhuma exceção, consagrados por Kyoshu-Sama.
Em 1935, Meishu-Sama, que foi o primeiro Kyoshu – Líder Espiritual, fundou a nossa religião. Desde então, todos aqueles que se tornaram membros da Igreja Messiânica Mundial, seja no Japão, na África ou no Brasil, foram outorgados com um Ohikari consagrado por Kyoshu-Sama, vieram ministrando Johrei e dedicando. E ainda hoje, continuam praticando isso.
O mesmo se sucedeu, tanto na época de Nidai-Sama como na época de Sandai-Sama, e também está sendo realizado pelo atual Kyoshu-Sama, o senhor Yoichi Okada. Todos aqueles que se tornaram membros da nossa religião, sem exceções, ministram Johrei porque receberam um Ohikari consagrado por Kyoshu-Sama. Certamente, o número de Ohikaris consagrados ultrapassa a casa dos milhões. Independente de qual época for, todos esses Ohikaris foram consagrados por um Kyoshu-Sama. Nem é preciso de muita explicação para todos perceberem a grandiosidade da missão que Kyoshu-Sama tem dentro da Igreja Messiânica Mundial.
Talvez seja muito fácil falar “vamos lá ministrar Johrei…”. Contudo, se essa frase partir de uma pessoa que hoje nega Kyoshu-Sama, isso significa que ela própria está negando seu Ohikari, e consequentemente, está negando também o Johrei que ela está ministrando.
No Japão, aqueles que se autodenominam diretores executivos da Igreja Mãe alegam, de forma unilateral, que anularam a investidura do senhor Yoichi Okada como Kyoshu-Sama. Entretanto, eles ainda não anunciaram o próximo Kyoshu, ou seja, o Quinto Líder Espiritual. Caso a intenção deles for escolher um “novo Kyoshu” entre os diretores executivos, isso significa que daqui para frente os Ohikaris serão consagrados por um diretor. Isto é um problema gravíssimo, que afeta os membros do mundo inteiro.
Se alguns países derem créditos a esses indivíduos que se autodenominam diretores executivos da Igreja Mãe, seguindo o que eles determinam, isso significa que, quem ingressar na fé nesses países, vai ministrar Johrei depois de ser outorgado com um Ohikari consagrado por um “diretor” que simplesmente se autodenomina “Kyoshu”.
Caso isso venha a acontecer, esse ato consistirá na negação de toda a história vivida até hoje pela Igreja Messiânica Mundial. Também será a negação dos Ohikaris que já foram consagrados por Kyoshu-Sama e a negação do próprio Johrei. Também será a negação dos milagres alcançados até hoje com o Johrei, o que consiste no ato de negar a Obra Divina de Meishu-Sama. Em síntese, trata-se do fim da Igreja Messiânica Mundial.
Acreditamos que todos os membros têm o direito de exigir da Sede Central de seu país, um posicionamento concreto e respostas esclarecedoras sobre esse fato. Sem isso, como será possível ministrarmos Johrei com tranquilidade? Será que seremos capazes de encaminhar pessoas à fé e outorgar novos membros com essa dúvida em nosso coração?
O mesmo pode ser dito em relação às Imagens da Luz Divina. Todas as imagens entronizadas nos altares do mundo inteiro, sem exceção, foram consagradas por Kyoshu-Sama.
Nós da Sede Central Izunome queremos continuar sendo outorgados com Ohikaris consagrados pelo legítimo Kyoshu-Sama, e continuar ministrando Johrei. Por isso, estaremos sempre defendendo Kyoshu-Sama e o Trono de Kyoshu.
Se aqueles que negam Kyoshu-Sama ficam dizendo: “só sei que o importante é ministrar Johrei…” ou “basta ministrar Johrei e não questionar nada…”, isso significa que eles estão usando o Johrei de forma leviana. Eles menosprezam as pessoas, achando que, basta dizer: o importante é ministrar Johrei, pois ninguém vai contestar isso… O fato deles usarem levianamente o Johrei que Meishu-Sama nos legou, consiste numa blasfêmia contra Deus e Meishu-Sama.
O Johrei praticado por quem nega Kyoshu-Sama não é Johrei. O Johrei ministrado pelas pessoas que menosprezam o Ohikari consagrado por Kyoshu-Sama, também não é Johrei.
Vejamos as pessoas que alegam que definiram a anulação da investidura de Kyoshu-Sama e aqueles que aceitaram essa anulação… se eles continuam usando o Ohikari consagrado por Kyoshu-Sama, que eles mesmos negam, será que acreditam que ainda há Luz Divina, que há o espírito sagrado em seu Ohikari? Ou será que vão jogar fora o Ohikari que foi consagrado por Kyoshu-Sama e trocar por um outro que foi consagrado por um diretor ou funcionário qualquer?
Doravante, nós da Sede Central Izunome continuaremos sendo outorgados com Ohikaris que foram consagrados por Kyoshu-Sama.
Atualmente, ainda existem Ohikaris consagrados por Kyoshu-Sama estocados na Igreja Izunome do Japão, na Sede Central da Igreja Messiânica Mundial do Brasil e em vários outros países. Durante um período, talvez não sintam falta de Ohikaris. No entanto, o que eles pretendem fazer quando esse estoque acabar? Os próprios diretores vão realizar a consagração dos materiais litúrgicos? Reiteramos que, se isso acontecer será o ato de negar Meishu-Sama, de negar não só o atual Kyoshu-Sama, como as anteriores Líderes Espirituais, de negar o Johrei e toda a Obra Divina de Meishu-Sama, o que consiste no fim da Igreja Messiânica Mundial.
Esperamos que todos os envolvidos reflitam bem sobre o que escrevemos acima, quando forem ministrar o próximo Johrei.
Atenciosamente
23 de julho de 2018
Assessoria de Comunicação da Sede Central Izunome

Este conteúdo está disponível em: 日本語 English