27 de julho de 2018

Ontem, dia 26 de julho, pouco depois das 11 horas, a sede da Região Chubu (a maior das cinco sedes regionais da Igreja Izunome e representa 1/3 dos membros de todo o Japão), foi invadida por pessoas ligadas a diretoria do Sr. Kobayashi.

No dia 25 de julho, o Sr. Masayoshi Kobayashi nomeou uma pessoa ligada à igreja Kamakura como novo diretor interino da Região Chubu. Essa pessoa, acompanhado de, aproximadamente, 10 funcionários dos escritórios do Solo Sagrado de Atami, invadiram as instalações da sede da Região Chubu, substituindo as fechaduras das portas que dão acesso ao interior do prédio. Após momentos de tensão, trancaram todas as portas que dão acesso aos escritórios e demais cômodos da regional e expulsaram os ministros e funcionários que dedicam no local sem, ao menos, explicar o que estava acontecendo.

Pouco depois das 12 horas e 30 minutos, um ônibus com cerca de 40 membros da igreja Kamakura, que pertence a Região Sede Central, chegou no local. Apesar dessa igreja não pertencer a Região Chubu, fizeram questão de se deslocarem até Nagoya com o pretexto de realizar um “aprimoramento” na sede daquela região. Foi assim que essas pessoas se apossaram das instalações e, perante o altar da sede da Região Chubu, receberam orientação de uma ministra da igreja Kamakura.

Atualmente, integrantes que apoiam a diretoria do Sr. Kobayashi estão fazendo vigília, pernoitando no prédio, para evitar a entrada de outras pessoas.

Durante anos, a igreja Kamakura não só negou tudo o que foi feito pelos reverendíssimos Katsuiti Watanabe e Tetsuo Watanabe como também a pessoa. Isto é um fato que todos os membros do Japão e a maioria dos ministros do exterior que dedicaram no Japão sabem muito bem.

Quem mais tentou expulsar o reverendíssimo Tetsuo Watanabe da nossa religião foi a MOA Toho no Hikari, que atualmente tomou conta da diretoria executiva da Igreja Mãe, e a própria igreja Kamakura. Foi essa igreja que abriu um processo jurídico contra o reverendíssimo Tetsuo Watanabe durante seu mandato como presidente mundial.

A ministra que orientou no aprimoramento dos membros da igreja Kamakura na sede da Região Chubu é a mesma que, em março deste ano, disse durante um aprimoramento no Solo Sagrado de Atami que “todo trabalho de difusão realizado pelo Revmo. Watanabe como presidente da Igreja estava errado” e “o Revmo. Katsuiti Watanabe está no inferno”. São afirmações assustadoras. Quem solicitou que ela palestrasse nesse dia foi o Sr. Masayoshi Kobayashi. Quais são suas pretensões ao negar Kyoshu-Sama e o reverendíssimo Tetsuo Watanabe, que sempre teve respeito absoluto pelo Trono de Kyoshu?

Situações como essa, em que a diretoria do Sr. Kobayashi ordena a tomada das unidades dos membros e ministros, estão ocorrendo por todo o Japão. São fatos que retratam a realidade no Japão. Atualmente, igrejas e Johrei Centers são visitados, sem aviso prévio, sendo que essas pessoas trocam as fechaduras e impedem os membros de entrarem nas unidades. Essas pessoas também têm visitado algumas unidades para retirar a foto de Kyoshu-Sama consagrada pela Igreja. Além disso, depois do Culto do Paraíso Terrestre deste ano, a diretoria do Sr. Kobayashi retirou as fotos das gerações de Líderes Espirituais – Segunda Líder, Terceira Líder e o atual Quarto Líder, Yoichi Okada – que ficavam expostas no Solo Sagrado de Atami. O que leva o Sr. Kobayashi a negar toda a geração de Líderes Espirituais da nossa religião? Sentimos um aperto no coração com tudo isso.

Sr. Masayoshi Kobayashi, por meio de tais atitudes, mudou em apenas 6 meses todo o princípio básico de centralização no Trono de Kyoshu liderado, durante 35 anos, pelo reverendíssimo Tetsuo Watanabe. Ele também age de mãos dadas com a MOA Toho no Hikari e a igreja Kamakura, que tentou expulsar o reverendíssimo Tetsuo Watanabe da Igreja e, certamente, tentarão envolver cada vez mais os membros numa situação caótica.

Nós da Sede Central Izunome, assim como a maioria dos messiânicos, professamos a fé em Meishu-Sama. Espionar Kyoshu-Sama e sua família, no seu momento de privacidade, não é uma atitude coerente ao que Meishu-Sama transmite em seus ensinamentos.

Meishu-Sama ensina que: “o meio mais seguro para avaliar o valor de uma pessoa é saber se ela possui, ou não, senso de justiça” e “portanto, em relação a todas as coisas, em primeiro lugar, devemos distinguir o que é certo e errado. Se a outra parte for do mal, é preciso oferecer resistência, valendo-se da justiça sem se intimidar”.

Quem reconhece a diretoria do Sr. Kobayashi e aqueles que afirmaram ser a diretoria executiva da Igreja Mãe, por mais belas que sejam as palavras dessas pessoas, estará admitindo que seu cotidiano na fé termina com a atitude vergonhosa de seguir, fotografar e filmar secretamente alguém. O que eles vão falar para Meishu-Sama depois que retornarem ao Mundo Espiritual? Admitir que Kyoshu-Sama possa ser espionado e seguir os passos da direção do Sr. Kobayashi, que pensa dessa forma, nada mais é do que negar Meishu-Sama.

Ou seja, a direção do Sr. Kobayashi nega Meishu-Sama, Nidai-Sama, Sandai-Sama, o atual Kyoshu-Sama e o próprio reverendíssimo Tetsuo Watanabe. Portanto, não somos capazes de seguir as determinações dessas pessoas. Acreditamos que muitos messiânicos no mundo inteiro pensam da mesma maneira.

Mesmo que sejam tomadas todas as unidades onde os membros dedicam, juntamente com os milhares de membros do Japão, continuaremos apoiando a centralização no legítimo Kyoshu-Sama . É chegado o momento dos messiânicos do mundo inteiro se levantarem também!

 

Assessoria de Comunicação da Sede Central Izunome

Este conteúdo está disponível em: 日本語