Culto de Agradecimento pela Colheita – 1º de dezembro de 2020

 

Salmos de Meishu-Sama

Ó Deus,
Vosso magnífico Universo prospera por toda a eternidade!
Porque tudo se move e se desenvolve perfeitamente,
Sem nenhuma irregularidade!

————— 

Quão magnífico é o Vosso plano, ó Deus!
Agora, neste exato momento,
Toda a criação será renovada!

————— 

Olhem, Satanás está bloqueando o percurso
E o caminho ficou estreito!
Mas, com coragem,
Avançarei por esse caminho seguindo a Vossa vontade, ó Deus!

Sagradas Palavras de Meishu-Sama

“Teoria da harmonia”

Ao longo de muito tempo, o ser humano tem falado sobre a importância da harmonia. Aparentemente, a palavra “harmonia” soa bem, e ser harmonioso parece ser uma questão lógica, mas nós não podemos simplesmente terminar por aqui. Embora essa percepção da palavra harmonia não seja totalmente errada, é superficial. Deixem-me aprofundar acerca do que a harmonia realmente é. Para começar, todo Universo e tudo nele já estão em perfeita harmonia, e não há absolutamente nada em desarmonia. O que parece estar em desarmonia aos olhos humanos é apenas assim na aparência. A desarmonia é algo criado pelos humanos – é consequência de um ato antinatural. Do ponto de vista da Natureza, a desarmonia produzida como resultado de um ato antinatural é a verdadeira harmonia e uma verdade imutável e justa. Enquanto obedecermos às leis do Universo, tudo estará em harmonia e as coisas correrão bem para nós.

A desarmonia é criada por meio de atitudes desarmônicas e a harmonia é criada através de atitudes harmônicas: essa é a grande harmonia da natureza. É por compreender profundamente essa verdade, que os humanos conseguem alcançar a felicidade. Como prova do que estou dizendo aqui, basta apenas olhar para o mundo. Existem muitos casos em que você nota essa desarmonia se transformar em harmonia pouco tempo depois, ou se sinta tranquilo em achar que a situação está indo de forma harmoniosa quando, repentinamente, a harmonia é perturbada e se transforma em desarmonia. Nós precisamos pensar seriamente nesses acontecimentos. Simplificando, a perspectiva da “desarmonia” é shojo, limitada e de mente estreita, e a da “harmonia” é daijo, ampla e abrangente.

 

Jornal Glória, N.º 176, 1º de outubro de 1952

Este conteúdo está disponível em: 日本語 English