Meishu-Sama

 
Logo após vocês entrarem na vida de fé, Deus tenta dar-lhes bênçãos. Mas se tiverem impurezas dentro de vocês, Deus irá purificá-las. Isso porque Ele deseja que vocês sejam alguém que é digno de alcançar a felicidade. Nesse sentido, não posso dizer que vocês serão felizes logo depois de se tornarem fiéis. Primeiro, vocês devem remover suas impurezas.

 
Sermão de 18 de junho de 1948

 
Todas as teorias acerca da doença até hoje afirmam que a doença é algo que “destrói a saúde” e pode, por fim, tirar a sua vida. Na religião, doença é considerada “repreensão de Deus” ou “punição dos pecados”. A doença, portanto, é vista como algo para temermos, para ficarmos tristes ou para amaldiçoarmos. Ao contrário, minha teoria acerca da doença é esta: A doença é algo que devemos abençoar e nos alegrar. Ela é realmente a maior bênção que Deus preparou para a humanidade e também é uma atividade fisiológica natural. É por meio da doença que a saúde do ser humano é sustentada e o tempo de vida é estendido. Em suma, digo que a doença é algo pelo qual devemos agradecer.

Qualquer leitor que tenha entrado em contato com essa teoria incomum deve ficar surpreso.

 
Evangelho do Paraíso
, 5 de fevereiro de 1947

 

 
Bíblia

 
Na luta contra o pecado, vocês ainda não resistiram até o ponto de derramar o próprio sangue. Vocês se esqueceram da palavra de ânimo que ele lhes dirige como a filhos:

 
“Meu filho, não despreze
        a disciplina do Senhor,
nem se magoe
        com a sua repreensão,
pois o Senhor disciplina
        a quem ama,
e castiga todo aquele
        a quem aceita como filho”.
 
Suportem as dificuldades, recebendo-as como disciplina; Deus os trata como filhos. Ora, qual o filho que não é disciplinado por seu pai? Se vocês não são disciplinados, e a disciplina é para todos os filhos, então vocês não são filhos legítimos, mas sim ilegítimos. Além disso, tínhamos pais humanos que nos disciplinavam, e nós os respeitávamos. Quanto mais devemos submeter-nos ao Pai dos espíritos, para assim vivermos! Nossos pais nos disciplinavam por curto período, segundo lhes parecia melhor; mas Deus nos disciplina para o nosso bem, para que participemos da sua santidade. Nenhuma disciplina parece ser motivo de alegria no momento, mas sim de tristeza. Mais tarde, porém, produz fruto de justiça e paz para aqueles que por ela foram exercitados.

 
Hebreus 12:4–11

 
Publicado na Revista Glória, N.º 15, 1º de abril de 2021

Este conteúdo está disponível em: 日本語 English