No dia 24 de janeiro, foi realizado o Culto Anual em Memória à Segunda Líder Espiritual na Sede da Igreja Mundial do Messias.

Nidai-Sama, após a ascensão de Meishu-Sama em 10 de fevereiro de 1955, herdou a sagrada obra de Meishu-Sama e foi empossada como Kyoshu. Ela ascendeu em 24 de janeiro de 1962, confiando seu sagrado posto à Sandai-Sama. Durante os sete anos em que ela atuou como Kyoshu, Nidai-Sama nos ensinou a importância da autoridade do Kyoshu.

Quem se levantou com coragem, posicionando-se no centro da Igreja, que estava em caos após a ascensão de Meishu-Sama, foi Nidai-Sama.

Quem herdou a sagrada obra de Meishu-Sama, não foi nenhum dos diretores daquela época, mas sim, Nidai-Sama – a esposa de Meishu-Sama. 

É graças à Nidai-Sama que a ordem foi mantida na Igreja.

Também é graças ao fato de os sucessores de Nidai-Sama – Sandai-Sama e o atual Kyoshu-Sama, o quarto líder espiritual – terem permanecido initerruptamente no centro, que somos capazes de servir a Meishu-Sama de maneira correta, dentro de uma grandiosa ordem. O centro sempre será um só.

Nós, seguidores de Meishu-Sama, jamais devemos nos esquecer disso.

 
Palavras de Nidai-Sama
Sermão de setembro de 1956

O Trono de Kyoshu é o centro, o ponto mais alto, da Igreja. De forma alguma, nem mesmo por um dia, ele pode ficar vago. Uma pessoa de carne e osso precisa sentar-se nessa posição.

Independentemente do quão grande seja um predecessor, aquele que realmente lidera a família deve ser alguém presente em carne – caso contrário, nada consegue ser feito. Embora possa parecer que o atual chefe da família esteja fazendo tudo, o predecessor está estendendo sua mão auxiliadora – seu poder é aplicado nos bastidores. Esse poder não enfraquece nem mesmo no segundo, terceiro ou subsequentes líderes espirituais. Entretanto, se a união e a harmonia carecerem do seu lado, o crescimento total não é possível.

Este conteúdo está disponível em: 日本語 English