Feliz Ano Novo!

Com profundo respeito e temor a Deus, eu lhes digo que a Sua vontade da criação, a vontade do nosso único Pai, é fazer com que toda a humanidade, e não somente Jesus, venha a nascer de novo como Seus filhos, ou seja, como Messias, assim como Meishu-Sama o fez.

O nome Messias, o nome mais sagrado de todos, ao qual foi imbuída essa Sua vontade da criação, está gravado dentro de todos nós, dentro da humanidade e de seus antepassados paternos e maternos, e dentro de toda a criação, incluindo seus inúmeros elementos e partículas.

Desejo que todos nós, que demos boas-vindas a este glorioso ano novo, agradeçamos a Deus por estarmos sendo criados e educados diariamente através de Meishu-Sama e de Jesus, avançando com coragem e esperança em nosso coração.

Conto com todos os senhores durante este ano, também.

Bem, quando foi a nossa origem e onde essa origem existe?

A nossa origem aconteceu no momento em que Deus deu à luz nosso corpo espiritual no Paraíso. Essa origem existe no centro da nossa consciência.

No Paraíso, o local da nossa origem onde estávamos junto a Deus, éramos unos em um só corpo com Deus.

Nós servíamos a Deus como filhos espirituais de brilho glorioso.

Deus, a fim de fazer com que cada um de nós se tornasse uma existência única e distinta, preparou nossa autoconsciência – o nosso coração – e nos enviou à Terra, que é uma parte do Paraíso.

Nós, que fomos enviados à Terra e passamos a possuir uma consciência, tomamos posse do nosso corpo espiritual, ou seja, da nossa alma. Por isso, criamos uma barreira entre nós e Deus e acabamos nos tornando seres como os que se afastaram de Deus.

Deus está, neste exato instante, tentando perdoar a todos nós, que nos apossamos da alma, acolher-nos novamente no Paraíso e Se tornar um só ser conosco.

Eis o porquê de Deus ter precisado colocar Jesus, a quem Ele tanto amou, na cruz. Deus assim o fez porque era preciso expiar nossos pecados, purificá-los e fazer com que nós fôssemos salvos e ressuscitados.

Quão profundo é o amor que Deus tem por nós! Creio que jamais compreenderemos o quanto Ele nos ama.

Nós temos o dever de corresponder ao Seu profundo amor e, assim como Meishu-Sama o fez, receber o sangue expiatório ofertado por Jesus e regressar ao Paraíso onde Deus se encontra como seres cujos pecados foram perdoados.

Meishu-Sama nos ensinou a lei de precedência do espírito sobre a matéria.

Nós só temos um corpo material porque possuímos um corpo espiritual.

Ou seja, somos existências que precisam dizer a Deus o seguinte: “Ó Deus, eu estou vivo porque o Senhor está vivo!”

Meishu-Sama, além da “precedência do espírito sobre a matéria”, também nos ensinou a respeito da “união do espírito e matéria” e, acerca disso, ele disse: “Quando o espírito e a matéria se unem, isso gera um poder. Até hoje, os dois não estavam unidos.”.

Nós, ao recebermos a divina bênção de que existimos aqui na Terra apenas porque nosso corpo espiritual existe no Paraíso, precisamos oferecer nós mesmos a Deus como seres que foram contemplados com essa bênção e desejar que nos tornemos unos em um só ser com Ele. Ou seja, devemos desejar alcançar o estado de união do espírito e matéria.

É somente quando nos tornarmos unos em um só ser com Deus que, pela primeira vez, conseguiremos nos tornar seres que estão realmente vivos por meio do poder da vida de Deus.

A origem da salvação, a sua fonte, está no Paraíso que existe dentro de nós.

Meishu-Sama, movido pelo fervor de fazer com que muitas pessoas no mundo se lembrassem do Paraíso que existe dentro delas e de compartilhar com todos a salvação que existe no Paraíso, literalmente derramou seu coração e alma na construção dos Solos Sagrados aqui na Terra, a projeção do Paraíso.

Com o objetivo de herdar esse sagrado coração de Meishu-Sama e corresponder ao seu fervor para com a salvação da humanidade, no ano passado, em 1º de novembro, durante o Culto Mensal de Novembro, Masaaki, que atua em meu nome, declarou o início da construção do Solo Sagrado da Igreja Mundial do Messias.

No mês passado, em 18 de dezembro, na ocasião em que foi celebrado o Culto do Natalício de Meishu-Sama e do Natal de Jesus Cristo, eu anunciei aos senhores que o local destinado à realização dos cultos, que será o centro do Solo Sagrado que almejamos concluir, será chamado de Sagrado Templo do Messias[1].

Rumo a essa construção, espero que todos os membros sirvam de todo coração, em comunhão, e que concluamos sem falta a construção do Sagrado Templo do Messias que alegrará Meishu-Sama e corresponderá ao seu desejo.

Além disso, em 15 de junho deste ano, celebraremos o primeiro aniversário da realização da Cerimônia Especial de Comemoração do Nascimento do Messias. Conforme eu e o Masaaki comunicamos aos senhores no ano passado, decidimos que não chamaremos mais o culto que realizávamos em 15 de junho de Culto do Paraíso Terrestre, mas sim, de Culto do Nascimento do Messias.

Vamos corresponder ao sentimento de Meishu-Sama, que nos mostrou com o seu próprio corpo o significado do nascimento do Messias, e celebrar esse dia como sendo a grande celebração de um dia santo mundial.

E vamos gravar profundamente em nosso coração a estreita relação entre Jesus Cristo e Meishu-Sama, que foi quem afirmou que a Igreja Mundial do Messias avançará a salvação enquanto atua em consonância com o cristianismo, oferecer nossa mais sincera gratidão ao Deus único, que foi quem os enviou ao mundo, e servir a Ele em comunhão com toda a humanidade e seus antepassados paternos e maternos, e com toda a criação.

Que o caminho que será trilhado durante todo este ano pelos senhores, que servem a Deus dessa maneira, seja repleto de grandiosas bênçãos e conforto.

Muito obrigado.

 
[1] A nomenclatura “Sagrado Templo do Messias” está sujeita à revisão.

Este conteúdo está disponível em: 日本語 English